114 detentos já foram inseridos no mercado de trabalho esse ano imprimir publicado em: 01 / 12 / 2015

Encontrar uma nova chance, onde menos se espera. É isso que os detentos das unidades prisionais do Piauí estão vivenciando com o Projeto de Incentivo ao Trabalho e à Capacitação Profissional, por meio do Programa Setre nos Municípios, o antigo Qualifica Piauí.detentos

Só este ano, 114 internos já participaram de cursos de capacitação, como de corte e costura, embelezamento e de operário da construção civil. Deste número, todos já estão em semiaberto, incluídos no mercado de trabalho.

Para dar continuidade ao projeto, na manhã desta segunda-feira, (30), na Penitenciária Regional Irmão Guido, na capital, 48 detentos integraram as duas novas turmas do curso operário de construção civil. O curso que ocorrerá nos turnos manhã e tarde, tem duração de 22 dias e com carga horária de 80H.

A iniciativa é do programa da Secretaria de Justiça, em parceria com a Secretaria de Trabalho e Empreendedorismo do Estado, que já atingiu detentos do sexo masculino e feminino e faz com que muitos tenham a oportunidade de se profissionalizarem.

É o que acredita o interno José Leite, recluso há seis anos e seis meses. O novo aluno do curso de operário de construção civil já participou de projetos como montagem de bicicleta, leitura livre, culinária e contribui com a reforma do presídio. “Vejo nesses cursos, uma forma de aprender uma atividade profissional e de ocupar a mente, que quando está vazia, só pensamos em sair de qualquer jeito. É uma chance de não sairmos daqui com as mãos abanando e de ter uma profissão digna”, destaca o detento.

Quem também integra a nova turma é o detento Manoelito Sousa. Ele está com muita expectativa de aprender mais. “O mínimo que aprendermos aqui será muito. Essa é uma ótima oportunidade de conhecer mais sobre a construção civil, é uma chance que todos nós estamos agarrando”, ressalta.detento

Capacitação é uma estratégia de ressocializar detentos

Durante a solenidade de abertura das novas turmas do curso de operário em construção civil, que aconteceu na manhã desta segunda-feira, (30), na Penitenciária Regional Irmão Guido, representantes dos órgão envolvidos destacou a importância da profissionalização e capacitação como uma estratégia de humanizar e principalmente ressocializar detentos das unidades prisionais.

Atualmente, o sistema prisional piauiense enfrenta a superlotação das unidades, o que dificulta as ações desenvolvidas. No total, são 3.641 presos nas penitenciárias, abrigados em 14 unidades. “É difícil humanizar e ressocializar em um ambiente que convive com a superlotação. Mas já temos resultados positivos com os trabalhos voltados ao profissional e à educação”, pontua Francisco Antônio de Sousa Filho, diretor de humanização e ressocialização da Sejus.

Para Daniel Oliveira, secretário de Justiça, a capacitação beneficia os internos tanto na questão de comportamento nas unidades, como ampliando as oportunidades profissionais. “Os cursos profissionalizantes representam avanços em termos de políticas de humanização e ressocialização. O detento não ficará com tempo ocioso, mas sim aprendendo uma profissão. Isso reflete na mudança de comportamento e até mesmo de expectativa de vida”, disse.

Portal Meio Norte

, , ,

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas