Agressão: sem acordo, árbitra processará atleta agressor imprimir publicado em: 09 / 07 / 2019

Aconteceu na semana passada a audiência de conciliação do caso da árbitra Eliete Fontenele, que foi agredida por um jogador durante uma partida de futsal realizada pela Universidade do Vale do Delta, em Parnaíba. No entanto, para quem esperava o desfecho do episódio, houve frustração, já que nenhuma das partes chegou a um acordo. O acusado, o estudante Rodrigo Quixaba, alegou não ter condições de arcar com os valores estipulados pela Justiça na indenização.

O Portal O Dia conversou com a árbitra Eliete Fontenele. Ela disse que vai acionar a Justiça e processar o estudante, agora, por danos morais. O rapaz já responde ao processo por lesão corporal por ter atingido a mulher com um soco no rosto após receber um cartão vermelho e ter sido expulso do jogo. Eliete acrescenta ainda que fica chateada de ter de passar por mais burocracia em outro processo, mas que não desistirá.

“Pensei que poderia resolver logo ali, esperava uma atitude diferente dele, mas ele alegou que não quis me agredir e que não tem como arcar com os custos da indenização que estavam sendo discutidos. Isso me faz acreditar que se ele tiver a chance, é capaz de ele fazer de novo, porque até o momento o processo não deu em nada para ele. Fico triste e chateada, porque ainda vou ter que encontra-lo posteriormente e eu realmente não queria isso”, declara a árbitra.

Veja o vídeo do momento da agressão:

Eliete acrescentou que sua advogada já está tomando os procedimentos cabíveis para abrir uma ação por danos morais por conta do constrangimento da audiência e que aguarda o posicionamento da justiça sobre o caso. A advogada dela disse que não comentará nada a respeito no momento.

A reportagem procurou a defesa do estudante Rodrigo Quixaba, mas ninguém foi encontrado. O espaço fica aberto para futuros esclarecimentos.

Entenda

A árbitra de futebol, Eliete Fontenele, foi agredida com um soco no rosto durante uma partida de futsal realizada pela Universidade do Delta do Parnaíba no dia 03 de junho passado. Na ocasião, se enfrentavam no torneio os times dos cursos de Ciências Contábeis e Engenharia de Pesca. A árbitra aplicou um cartão vermelho contra o estudante Rodrigo Quixaba (Engenharia de Pesca), que lhe desferiu o golpe.

O momento foi registrado em vídeo pelos torcedores e chocou tanto a comunidade acadêmica quanto o público de fora da universidade que compartilhou as imagens. A administração superior da Universidade do Delta do Parnaíba chegou a se pronunciar por meio de nota e repudiou a atitude do jogador, afirmando que abriu processo administrativo para apurar sua conduta.

Alguns estudantes chegaram a pedir a expulsão de Rodrigo Quixaba da instituição e várias Associações Atlético-Acadêmicas (AAA) se manifestaram, condenando a agressão e exigindo medidas efetivas da universidade quanto ao ocorrido.

Em depoimento à polícia dias depois do ocorrido, Rodrigo Quixaba disse não ter tido a intenção de agredir Eliete, que agiu no calor do momento e que não lhe atingiu com o soco porque ela era mulher. Ele assinou um Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO) e foi liberado em seguida.

Por: Maria Clara Estrêla | Portal Odia

,

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas