Amanda Nunes nocauteia Cyborg e é primeira mulher com dois cinturões do UFC imprimir publicado em: 30 / 12 / 2018

Amanda Nunes fez história no UFC 232, realizado neste sábado (29), em Inglewood (EUA). No The Forum, a campeã peso-galo nocauteou Cris Cyborg – até então dona do cinturão peso-pena – aos 51 segundos do primeiro round e se tornou a primeira mulher campeã de duas categorias.

Mais do que isso, a baiana acabou com uma invencibilidade de 13 anos da compatriota e passou a ser dominante no MMA. Dona das categorias pena e galo, a “Leoa” somou o oitavo triunfo consecutivo e não sabe o que é sair derrotada do octógono há quatro anos.

Amanda foi a responsável por derrubar duas lutadoras consideradas fenômenos do esporte. Com as vitórias sobre Ronda Rousey e Cyborg, ela garantiu de vez o seu lugar na prateleira mais alta do MMA feminino.

O combate durou apenas 51 segundos. Desde o começo, as duas trocaram golpes em sequência até que Amanda acertou e Cyborg sentiu. Mesmo desnorteada, Cris continuou andando para frente e tentando encontrar Amanda. Um erro fatal.

Amanda Nunes em ação contra Cris Cyborg
Foto: Gary A. Vasquez-USA TODAY Sports / Reuters

Inteira, a baiana acertou socos em sequência até conseguir algo que parecia impossível: nocautear Cris Cyborg. “Incrível. Meu Deus. Vamos lá! Quando a Cyborg veio para cima, sabia que acabaria. Sou a primeira campeã em duas divisões. Em sou a melhor. Dana White [presidente do UFC], eu tenho que ser Hall da Fama”, comemorou.

Volta de Jon Jones

Jon “Bones” Jones venceu o sueco Alexander Gustafsson por nocaute no terceiro round e retomou o cinturão meio-pesado. Considerado o maior lutador da história nas artes marciais mistas, o norte-americano dividiu a torcida no The Forum, tradicional arena da Califórnia. Tudo por causa da polêmica pelo doping que tirou o UFC 232 de Las Vegas poucos dias antes da realização e o levou para Los Angeles.

Mesmo vaiado em diversos momentos, principalmente na entrada, o campeão mostrou o arsenal de golpes que o tornou conhecido mundialmente como um fenômeno do esporte. Gustafsson não foi páreo para um Jones que dominou a distância, encurtou os espaços e anulou o difícil jogo do adversário.

Ele chegou ao incrível número de 23 vitórias, uma derrota e uma luta sem resultado. Agora, o norte-americano aguarda o próximo desafiante, ciente de que estará cada vez mais no centro das atenções.

A transferência de lugar da luta foi feita por causa de um exame antidoping de Jones, feito pouco antes do evento, que apresentou resquícios do esteroide turinabol, a mesma substância que o tirou de combate desde julho de 2017. Como a Comissão Atlética de Nevada não teria tempo para autorizá-lo a lutar no Estado, a licença expedida para a Califórnia foi decisiva no que envolveu a transferência de toda a estrutura milionária.

O combate entre Jones e Gustafsson começou morno. Eles mediram bastante a distância. De fato, trocaram poucos golpes. O momento mais tenso foi quando o sueco reclamou de um golpe baixo, mas rapidamente retornou ao confronto.

No segundo round, Jon Jones se queixou de um dedo no olho. A luta parou por alguns instantes e foi rapidamente retomada. Aos poucos, o norte-americano se soltou e encaixou os melhores golpes, apesar de Gustafsson levar perigo nas ameaças de contragolpes.

Jones obteve situação importante no terceiro assalto, quando derrubou o oponente e ficou por cima trabalhando golpes e a possibilidade de uma finalização. Ela não veio, mas a sequência de socos foi mortal e garantiu mais um nocaute para o maior lutador de MMA de todos os tempos.

Após o triunfo, Jones, claro, provocou o arquirrival Daniel Cormier. “Ele se declara duplo campeão. Digo, o cara desistiu do cinturão porque alguém chegou em casa. O papai voltou para casa, DC! Venha provar, estou bem aqui”, disse, para deixar na sequência o octógono entre vaias e aplausos.

Resultados do UFC 232:

Card principal

Meio-pesado: Jon Jones venceu Alexander Gustafsson por nocaute aos 2m02s do 3º round
Pena: Amanda Nunes venceu Cris Cyborg por nocaute aos 51s do 1º round
Meio-médio: Michael Chiesa venceu Carlos Condit por finalização aos 56s do 2º round
Meio-pesado: Corey Anderson venceu Ilir Latifi por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
Pena: Alex Volkanovski venceu Chad Mendes por nocaute técnico aos 4m14s do 2º round
Card preliminar

Pesado: Walt Harris venceu Andrei Arlovski por decisão dividida (27-30, 29-28 e 29-28)
Pena: Megan Anderson venceu Cat Zingano por nocaute técnico a 1m01s do 1º round
Galo: Petr Yan venceu Douglas D’Silva por nocaute técnico aos 5m do 2º round
Leve: Ryan Hall venceu B.J. Penn com uma chave de calcanhar aos 2m46s do 1º round
Galo: Nathaniel Wood venceu Andre Ewell por finalização aos 4m12s do 3º round
Médio: Uriah Hall venceu Bevon Lewis por nocaute a 1m32s do 3º round
Médio: Curtis Millender venceu Siyar Bahadurzada por decisão unânime (29-28, 29-28 e 30-27)
Galo: Montel Jackson venceu Brian Kelleher por finalização a 1m40s do 1º round

Folhapress

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas