“Aqui não, Mosquitão” reforça importância de eliminar o Aedes atualizada atualizada em: 15 de abril de 2018 comentarios 0 comente agora rss RSS

Apesar da constante redução dos casos de dengue, zika e chikungunya, a população deve reforçar os cuidados para evitar a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor daquelas doenças, que logo após o período chuvoso, deve se manifestar com maior intensidade. Por conta disso, a Secretaria de Estado da Saúde iniciou a campanha educativa “Aqui não, Mosquitão”, chamando a população para eliminar larvas e mosquitos da dengue. Com descontração e humor, a campanha foca que o Aedes pode estar onde nem se imagina e que não aparece de surpresa.

Por conta disso, o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, chama para o envolvimento da população, juntamente com Estado e municípios, “para que todos possamos, com a participação da comunidade, reduzir ainda mais os números de casos”, comenta, destacando que o mosquito pode estar em diversos lugares, basta um descuido. “Não é somente em piscinas, em terrenos baldios. O mosquito pode estar em qualquer lugar”, diz.

Como explicado pelo secretário, o Aedes não aparece de repente, como se imagina. O mosquito se aproveita de pequenos deslizes e se instala em domicílios e locais de trabalho. São as tampas de refrigerantes ou cascas de ovos jogados no quintal de casa, sem o devido armazenamento do lixo; pratos com água, sob vasos de plantas, e ainda aquela vasilha com água para os animais, como cães e gatos, que muitas vezes, passam dias sem que seja substituída. Pronto: são nesses ambientes que o mosquito se “hospeda”, se prolifera e traz doenças, causando malefícios que vão desde dores no corpo e até mesmo a morte.

Por isso, fique atento a essas recomendações:

• evitar o acúmulo de água em garrafas, vasilhames, latas, pneus, pratos sob vasos de plantas;
• manter vasilhames tampados,
• manter ambientes limpos;
• tampinhas de garrafas, cascas de ovos e folhas também poder ser reservatórios d’água;
• manter caixa d’água cobertas.

Boletim Epidemiológico

Semanalmente, a Sala Estadual de Coordenação e Controle das Ações de Enfrentamento à Microcefalia, da Secretaria de Estado da Saúde, divulga o Boletim Epidemiológico, apresentando as notificações dos casos em todo Piauí.

Nesse último, por exemplo, o Piauí apontou uma redução de 54,6% nos casos de chikungunya em relação ao mesmo período de 2017. Esse ano, foram 169 notificações em 15 municípios. No mesmo período de 2017, foram 372 notificações em 24 municípios.

Também houve redução de 49,4% nos casos de dengue, com 600 casos notificados em 35 municípios em 2018. Já em 2017, foram 1.185 em 61 municípios. Quanto à zika, foram cinco notificações em todo o Estado.

Confira o boletim

Sesapi

divisao

0 comentário Comente agora!

publicidade

redes sociais

publicidade