Botafogo-SP segura pressão do River e é campeão da série D imprimir publicado em: 15 / 11 / 2015

Não deu para o Galo. Mesmo jogando com um a menos durante quase todo o segundo tempo, o Botafogo-SP suportou a pressão do River e o grito dos 40 mil torcedores na tarde deste sábado no Albertão, conseguindo segurar o 0 a 0 e sagrando-se campeão brasileiro da série D. Aos riverinos, resta comemorar o acesso, e pensar nos desafios do ano que vem.river 1

River ataca, Bota defende

Flávio optou por entrar com três atacantes – Eduardo, Célio Codó e Fabinho. O jogo começou muito igual, disputado no meio de campo e com as duas equipes se comportando de forma cautelosa. Mas o River não demorou a pressionar. Buscando acuar o Pantera em seu campo defensivo, o River insistia nas jogadas pela esquerda.

Pouco antes da parada técnica para reidratração, o Galo teve uma boa chance em cobrança de falta de Tote, que acabou subindo demais.river 2

Aos 39, uma das chances mais claras do primeiro tempo. Eduardo avançou pela direita, cruzou para a área e Fabinho avançou para finalizar, mas bateu prensado com a zaga. A bola acabou passando muito perto do gol.

Com o Botafogo todo atrás e os riverinos insistindo, o primeiro tempo terminou como começou: com o placar zerado.

Um a menos no Pantera, e mais pressão

As equipes voltaram sem mudanças para a etapa complementar. O River começou a pressionar, e o Botafogo-SP se defendia como podia – e como não podia. O volante César Gaúcho parou Júnior Xuxa com falta dura e acabou levando o segundo amarelo, indo para o vestiário mais cedo.river 5

No grito da torcida, a pressão do River se intensificou. Todo recuado no campo defensivo, o Pantera se virava para evitar o gol do Galo. Girando a bola de um lado para o outro, o Galo tentava, tentava… e o Botafogo se trancava todo.

Flávio Araújo resolveu mexer no time e mandou Esquerdinha para o lugar de Amarildo. Pouco depois dos 30, Eduardo recebeu passe na área e bateu bem, mas Neneca fez a defesa. No lance seguinte, foi a vez de Rafael Araújo perder chance clara – o defensor aproveitou bola alçada na área para escorar de cabeça, mas a bola passou sobre o gol, arrancando mais um “uhhhh” da massa riverina no gigante da Redenção.river 3

Correndo contra o tempo, o River partiu com tudo para cima. Robinho foi para o lugar de Jadson, e Raphael Freitas substituiu Júnior Xuxa. Foram as últimas cartadas do treinador Flávio Araújo, diante dos contornos dramáticos da partida. Apesar da pressão, o 0 a 0 permaneceu, dando o título ao time de Ribeirão Preto. Festa do Pantera, e o grito de campeão ficou entalado na garganta de mais de 40 mil tricolores piauienses.

Por: Dowglas Lima | Jornal Meio Norte

, , , ,

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas