Desembargador suspende pedido de prisão de genro de Mão Santa imprimir publicado em: 31 / 05 / 2019

O desembargador Erivan Lopes concedeu Habeas Corpus ao empresário Luís Nunes Neto, genro do prefeito Mão Santa e marido da delegada Cassandra Moraes Sousa.

A prisão dele havia sido decretada no último dia 14 de maio, pelo juiz Willmann Izac Ramos Sato, da Comarca de Luís Correia. Na última terça-feira (28/05), ele era um do alvos da Operação Nullius mas não foi encontrado.

O objetivo do trabalho da polícia era cumprir mandados de busca e apreensão e prender pessoas envolvidas com grilagem de terras no Piaui.

Na última terça-feira (28/05) ele tinha ingressado com um pedido de Habeas Corpus no Tribunal de Justiça do Piauí alegando que e réu primário, não possui antecedentes criminais, trabalha e tem residência fixa.

Na decisão, o desembargador Erivan Lopes justifica que a permanência do empresário em liberdade não coloca em risco a ordem pública. Diz ainda que caso seja condenado, a pena será de no máximo quatro anos e cumprida em regime aberto. Erivan argumentou na decisão que não se pode decretar a prisão preventiva do empresário apenas sob a argumentação que ele pode ter acesso à informações e pessoas relacionadas à investigação. Por fim, o magistrado justifica que a proibição do empresário de ter contato com os investigados já é uma medida suficiente para garantir o resultado buscado pela decretação da prisão.

Douglas Cordeiro

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas