FIM DA GREVE: Após 17 dias sem aulas, professores interrompem Greve Geral no Piauí atualizada atualizada em: 13 de março de 2018 comentarios 0 comente agora rss RSS

Após 17 dias em Greve, os professores da Rede Estadual de Ensino do Piauí decidiram finalizar a greve geral. Durante assembleia na manhã desta segunda-feira (12) os grevistas suspender o movimento grevista mas manter-se em estado de greve. Caso o governo não cumpra o que ficou acordado no Tribunal de Justiça, a categoria retoma a greve e as aulas serão novamente suspensas. Com a decisão, as aulas retornam à sua normalidade a partir desta terça-feira (13/03).

A decisão foi tomada após a aprovação da nova proposta de pagamento do reajuste de 6,81% para todos os trabalhadores em educação, ativos e aposentados e funcionários.

Na audiência de conciliação realizada na manhã desta segunda-feira (12), no Tribunal de Justiça (TJ-PI), entre o governo do estado e o Sinte-PI, com a presença do Ministério Público e OAB-PI.

Veja a nova proposta do Governo: Reajuste de 6,81% para todos os professores ativos e aposentados na folha de maio/2018. Até lá continuam recebendo o auxílio alimentação;

Reajuste de 3,15% para todos os funcionários de escola, na folha de maio/2018, referente a 2017; Até lá continuam recebendo o auxílio alimentação. Em setembro/2018 será concedido o reajuste de 3,95%para todos os funcionários de escola referente a 2018;

A proposta anterior do governo excluiu totalmente os aposentados e não ofereceu nada de reajuste para os funcionários em 2018. Graças a força da greve dos trabalhadores em educação, a proposta mediada pelo desembargador do TJ-PI, dr. Joaquim Santana, a mediação favorece os trabalhadores em educação.

Os Núcleos Regionais presentes na assembleia foram firmes no posicionamento dos trabalhadores das regionais, quando afirma que o governo inchou as escolas de terceirizados, que representam quase 70% dos profissionais nas escolas. A greve está sendo realizada, mas muitas escolas continuam funcionando com precariedade.

Para a professora Paulina Almeida, presidente do Sinte-PI, a proposta foi positiva. “Apesar de ser o menor reajuste do piso de todos os anos, a força dos trabalhadores em educação do Piauí está garantindo o pagamento o reajuste de 6,81% o Piauí.

Muitas falas foram acertadas em lamentar a ausência de muitos trabalhadores em educação, que estiveram presentes na assembleia para aprovar a greve e não compareceram nesta assembleia porque estão nas salas de aula, concordando com o auxílio alimentação. “Se querem continuar a greve, tem que dizer aqui na assembleia”.

Dia 16/03 a categoria terá nova audiência na Assembleia Legislativa do Piauí e afirmaram que vão denunciar o descaso do governo com a educação pública.

divisao

0 comentário Comente agora!

publicidade

redes sociais

publicidade