Alimentos devem ter redução de preço a partir de abril de 2021

Vilões da inflação em 2020 e pressionados pelo dólar, os preços dos alimentos devem diminuir a partir do segundo trimestre de 2021, devido a chegada da safra de grãos ao mercado, que deve marcar novo recorde e irá contribuir para a redução nos preços dos alimentos.

De acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), os alimentos correspondem a dois terços da inflação deste ano acumulada de 4,3% em 12 meses até o mês de novembro.

A folga no preço dos alimentos também é resultado do aumento dos preços de serviços, e os preços administrativos, em que o Governo é responsável pelo reajuste, como tarifas de transporte, combustíveis, planos de saúde e medicamentos.

Como a folga na inflação dada pelos alimentos será muito grande, quase de três pontos porcentuais, ela poderá acomodar pressões vindas de outros grupos de preços. Por isso, levando em conta as informações disponíveis até o momento, ele espera que o IPCA feche 2021 em torno de 3%. O último Boletim Focus do Banco Central mostra que o mercado espera uma inflação em 3,37% para o ano de 2021.

POR: LOURRANY MENESES | GP1