Apresentador da Meio Norte, Alcide Filho é preso acusado de estupro contra adolescente de 14 anos

A delegada Lucivânia Vidal, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, informou que o apresentador Alcide Filho é suspeito de manter o adolescente, vítima de estupro, morando com ele desde 2020 e trabalhando sem receber salário durante esse período. Ele tinha ainda, segundo ela, interesse de adotar o garoto. Ele foi preso nesta quarta-feira (8) após denúncia de abusos contra o jovem.

A polícia informou que, em depoimento, o apresentador negou as acusações. A TV Meio Norte, onde o apresentador comanda um programa sobre meio-ambiente e ecologia, informou repudiar todo tipo de violência e que, devido ao caso, a exibição do programa está suspensa temporariamente. Futuramente, conforme a emissora, a defesa terá oportunidade de se pronunciar. Veja a íntegra da nota ao fim da reportagem.

Vítima vivia com o suspeito
Segundo a delegada, a vítima morava na casa do suspeito desde 2020, desde que tinha sido chamado para trabalhar com ele em uma produtora de vídeo montada dentro da casa.

Os abusos teriam acontecido de forma reiterada, segundo ela, até o final de 2021, quando o adolescente decidiu sair da casa, por conta dos abusos.

Ele denunciou os crimes para a família, que antes confiava no suspeito, e os relatos causaram “revolta e espanto”, de acordo com a delegada.

Em abril, o caso foi denunciado ao Conselho Tutelar e, cerca de um mês depois, a DPCA iniciou as investigações, que permaneceram até agora. O inquérito foi concluído e foi pedida a prisão preventiva de Alcide Filho, autorizada pela Justiça.

Família confiava no apresentador
A delegada destacou que a família confiava no apresentador, que conseguiu ter influência e autoridade sobre o adolescente, sem saber que o menino era vítima de abusos.

Lucivânia Vidal destacou que uma das formas de manter “controle” sobre o adolescente era garantindo ao jovem acesso aos cartões de crédito do suspeito, que eram usados apenas para compras relacionadas à casa onde os dois moravam.

“Ele trabalhava de domingo a domingo na produtora, sem receber salário por isso”, disse ela.

Segundo a delegada, Alcide tinha demonstrado a intenção de adotar a vítima, mostrando à família do garoto a intenção de “cuidar” da vítima. Contudo, os abusos não eram revelados.

Sem registro de outras vítimas
A delegada comentou ainda que a investigação não identificou outras vítimas, mas que “o modo de agir do suspeito demonstra que ele pode já ter cometido o mesmo crime antes”.

“Não existiu na investigação outros menores, mas não que não haja suspeitas. Pela a experiência da DPCA, o modus operandi é de quem já sabe como cometer esse tipo de crime”, informou ela.

Prisão preventiva
O jornalista e apresentador foi preso na manhã desta quarta-feira (8), suspeito de estupro de vulnerável. Os policiais cumpriram a um mandado de prisão preventiva e um mandado de busca na casa do apresentador, expedidos pela Justiça.

De acordo com o delegado Mateus Zanatta, gerente de Delegacias Especializadas, a denúncia contra o apresentador partiu da mãe da vítima.

“Foi aberto o inquérito policial, colhidos elementos de informação que subsidiaram o pedido de prisão, existindo fortes indícios que demonstram a veracidade dos fatos, inclusive com depoimento de familiares do acusado”, disse o delegado.

O Alcide Filho é ambientalista e ficou conhecido no Piauí por apresentar programas de ecoturismo na TV aberta piauiense. Ele também foi secretário de turismo e meio ambiente de Luís Correia em 2009.

Veja a íntegra da nota da TV Meio Norte:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em relação à denúncia de assédio envolvendo o publicitário e apresentador de programa terceirizado da Rede Meio Norte, Alcides Filho, a Meio Norte informa que o programa EKOA, será retirado da grade por tempo indeterminado, até que as denuncias sejam esclarecidas.

Reiteramos nosso reconhecimento ao enorme talento e grande serviço prestados a Meio Norte pelo publicitário e apresentador Alcides Filho, que certamente terá oportunidade de expressar sua versão em relação ao fato noticiado.

Sem mais para o momento, a emissora reitera seu repudio a toda e qualquer forma de assédio, desrespeito, violência ou preconceito.

Atenciosamente

Grupo Meio Norte de Comunicação

Por Andrê Nascimento e Maria Romero, g1 PI