Datafolha: Bolsonaro caiu mais e aumenta o desespero com novo recorde de reprovação

A paúra tomou conta do inquilino do Palácio do Planalto nesta quinta-feira (16/09) com a nova pesquisa do Datafolha, que aponta novo recorde de reprovação, 53%, no pós-arrego do presidente Jair Bolsonaro.

O Datafolha disse que ouviu presencialmente 3.667 pessoas em todo o país entre os dias 13 a 15 de setembro. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

Em julho, Bolsonaro tinha reprovação de 51% e após as manifestações de 7 de Setembro, em Brasília e São Paulo, o presidente caiu mais dois pontos.

O clima é de desespero entre os bolsonaristas e o próprio mandatário, que, segundo informações de um parlamentar da base, pensou em não realizar a tradicional live desta quinta-feira (16/09). Os números causaram desconforto no presidente da República.

Segundo o Datafolha, o presidente é avaliado como bom ou ótimo por 22% ante 24% de julho. Ou seja, o recuou de Bolsonaro e a carta assinada por ele e escrita pelo antecessor Michel Temer (MDB) caiu mal entre seus próprios seguidores.

Até a quinta-feira (09/09), a retórica contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso Nacional visava manter coesa a base de sustentação do presidente. No entanto, ao que indica a pesquisa, tudo se desmanchou no ar.

O Datafolha deve também divulgar nas próximas horas novo levantamento da corrida pela Presidência da República. Outros institutos apontam vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já no primeiro turno e mostram a dificuldade de materializar a “terceira via” nas eleições de 2022.

O instituto lembra que a impopularidade de Bolsonaro só não é maior do que a de Collor, no mesmo período do mandato:

👎🏼 Ruim/Péssimo faltando 13 meses para concorrer à reeleição:
🔵 FHC – 16%
🔴 Dilma – 22%
🟡 Lula – 23%
🟤 Bolsonaro – 53%
⚫ Collor – 68%