Governador Wellington Dias decide não decretar lockdown no final de semana

O governador Wellington Dias decidiu que o estado do Piauí não terá nesse final de semana o isolamento social radical, conhecido como lockdown, como forma de enfrentamento a pandemia do novo coronavírus. Contudo, o chefe do executivo anunciou na tarde desta sexta-feira (19/06) medidas mais rígidas para este sábado (20) e domingo (21) . Wellington Dias recebeu novos dados da Covid-19 e discutiu com membros do comitê Pró-Piauí as medidas necessárias para impedir o avanço da doença no interior do estado.

Em entrevista a rádio Imperial fm, o governador esclareceu que entre as medidas para este final de semana está a interrupção do transporte coletivo entre municípios do Piauí e fechamento de serviços até então permitidos pelos decretos estaduais. As medidas devem começar na madrugada de sábado e seguir até o domingo.

“Tive que adotar, orientado pelas equipes técnicas de saúde, para que neste sábado e domingo medidas no sentido de interrupção no sistema interurbano e restrições em relação a atividades que são liberadas para que possamos barrar a transmissão do coronavírus. Chegou a ser tratada uma proposta de lockdown, porém, a avaliação é que seja uma decisão judicial como aconteceu em São Luís”, disse.

Wellington Dias não descartou a possibilidade da adoção de isolamento radical no Piauí. Segundo ele, representante de instituições jurídicas analisam as chances da decretação de lockdown para evitar que a situação um colapso na procura por leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no estado.

“Temos o Ministério Público, pessoas ligadas a Defensoria Pública, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que estão tratando sobre as condições para um lockdown mais para frente, não seria agora. O objetivo é que a gente não perca o controle. Chegamos ao limite da capacidade médica. Mesmo que tenhamos todas as condições para montarmos uma UTI, mas temos dificuldades com os profissionais”, afirmou.

O governador Wellington Dias demostrou preocupação ainda com a taxa de ocupação dos leitos de UTI no norte do Piauí. “Do Médio Parnaíba, passando por Teresina, Campo Maior , Piripiri, Barras, Esperantina até Parnaíba está numa situação que nos preocupa por conta do crescimento muito grande”, disse ao citar o exemplo de Piripiri, que dos 10 leitos de UTI, apenas três estão vagos, e anunciar a instalação de mais 10 unidades intensivas no município. Além disso, o governador declarou que a preocupação está redobrada com a possibilidade da falta de medicamento da rede estadual de saúde no ele chamou de “crise nacional”.

“Estamos com uma crise nacional em que cresceu oito vezes o consumo de medicamento diversos e o resultado disso é que a base industrial de fármacos do Brasil anunciou que não tem capacidade de atender essa demanda. Tivermos um negociação com o Ministério da Saúde e com a Procuradoria Geral da República para que através da Organização Pan-Americana da Saúde o Brasil possa fazer uma grande compra de medicamentos e insumos para a saúde que não tenhamos desabastecimento. Alguns estados já estavam entrando em colapso por falta de medicamento”, explicou.

Portal ODia

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.