Governo Bolsonaro aumenta, de novo, o gás de cozinha e da indústria

A Petrobras atrelou a sua política de preços internos à oscilação do dólar e à cotação internacional, o que gera os constantes aumentos nos preços de derivados de petróleo e dos demais produtos como o GLP residencial e industrial.

O preço para o consumidor final poderá ser diferente, pois as distribuidoras acrescem ao percentual de aumento os custos com mão de obra, logística, impostos e margem de lucro conforme a região do país, segundo o sindicato do cartel de distribuidores.

“O Sindigás informa que suas empresas associadas foram comunicadas pela Petrobras, na tarde de segunda-feira (21), sobre o aumento no preço do GLP residencial (embalagens de até 13kg) e empresarial (destinado a embalagens acima de 13 kg). O aumento passou a vigorar a partir desta terça-feira (22) nas unidades da petroleira.

De acordo com as informações recebidas da Petrobras, o aumento do GLP residencial oscilará entre 4,8% e 5,3%, e o aumento do GLP empresarial entre 2,9% e 3,2%, dependendo do polo de suprimento”, informou o Sindigás.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.