Grupo vai monitorar tubarões e Semar diz que não há indicativo de interdição de praias

Terminou no fim da tarde desta segunda-feira (7) a reunião que traçou estratégias a serem adotadas após o aparecimento do tubarões em áreas próximas à Praia do Coqueiro, em Luís Correia.

Membros da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Semar), Secretaria de Turismo, do Corpo de Bombeiros, Capitania dos Portos e Companhia Independente de Policiamento de Turismo (CIPTUR) decidiram formar três grupos de trabalho que realizarão o monitoramento dos tubarões, segurança dos banhistas e comunicação à sociedade sobre os resultados que forem obtidos.

A secretária estadual do Meio Ambiente, Sádia Castro, afirma que não há “nenhum indicativo” de interdição de praias do litoral piauiense. No entanto, a gestora alerta é preciso que os banhistas tenham atenção redobrada.

“É importante a gente ressaltar para tranquilizar os banhistas, assim como os donos de pousadas, de restaurantes e hoteis que, nesse momento, não há indicativo de interdição de praia, ou seja, a situação que nos apresenta não recomenda a interdição. O que são recomendados são os cuidados que nós já estamos repassando pela Semar, Setur , pelo Corpo de Bombeiros, Capitania dos Portos , enfim, todos órgão responsáveis envolvidos com o litoral, com o turismo. As pessoas podem ir à praia tomar banho de mar, mas com cuidados redobrados como demorar muito no mar, não mergulhar muito, não nadar muito distante da praia , ter cuidado com as crianças , com os idosos e evitar a prática de esportes náuticos nesse momento”, esclarece a secretária.

A auditora fiscal ambiental da Semar, Waneska Vasconcelos, explica que ainda não foi possível identificar as espécies de tubarões que estão sendo vistas por turistas;

“Precisamos fazer o monitoramento dessas espécies. Precisamos ter uma resposta . Esses animais vivem aqui, é o habitat natural deles, eles tem ocorrência no nosso litoral. O que nos estranha é somente essa aproximação da praia. Para responder esse comportamento nos precisamos fazer esse monitoramento”, disse Waneska.

A Semar vai contatar pesquisadores da região. No eixo segurança, equipes do Corpo de Bombeiros, Ciptur e Capitania dos Portos farão segurança dos banhistas e estarão atentos casa haja alguma ocorrência. O grupo de trabalho também vai tentar preservar os tubarões.

“Outro grupo vai cuidar da comunicação para que as informações sejam democratizadas e alinhadas para que a população ,especialmente as pessoas que estejam ligadas diretamente ao turismo no Piauí, tenham informação segura a respeito desse evento que é o aparecimento de tubarões nas praias do litoral do Piauí”, acrescenta a secretária Sádia Castro.

Animais estão em busca de alimentos, diz bióloga

A bióloga e doutora em Sistema Costeiros e Oceânicos, Geórgia Aragão, explica que o grupo de tubarões que foi identificado na praia do Coqueiro, litoral do Piauí, está em busca de condições favoráveis para alimentação. Segundo ela, são pelo menos cinco animais jovens, mas de espécie ainda não identificada.

“Quem conhece a praia do Coqueiro, sabe que aquela região tem uma presença muito grande de cardumes de peixinhos, ali a gente tem as pedras, onde tem bastante crustáceos. Isso é condição favorável para a presença desses animais. Alimento em abundância”, explica.

Por: Izabella Pimentel | Cidade Verde