IBGE: 2,9 milhões de brasileiros se declaram gays ou bissexuais

Ao menos 2,9 milhões de brasileiros maiores de 18 anos se declaram homossexuais ou bissexuais. O número equivale a 1,8% da população adulta do país. Os dados, compilados em 2019, fazem parte de um levantamento inédito do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Divulgada nesta quarta-feira (25), a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) apontou ainda que 1,7 milhão de pessoas não sabiam definir a orientação sexual. Outros 3,6 milhões preferiram não responder. Esta é a primeira vez que a entidade avalia este aspecto em consultas domiciliares.

No período analisado, o Brasil tinha 159,2 milhões de cidadãos maiores de idade. Desse total, 94,8% se afirmaram heterossexuais. Outros 1,2% disseram ser homossexuais e 0,7% bissexuais. Já 1,1% não sabiam responder e 0,1% mencionaram outra orientação sexual, como assexual ou pansexual. Além disso, 2,3% não quiseram identificar por qual gênero ou sexo se sentiam atraídas.

A coordenadora do estudo, Maria Lucia Vieira, chama a atenção para a parcela dos entrevistados que não quis participar da coleta de dados. “O número de pessoas que não quiseram responder pode estar relacionado ao receio do entrevistado de se autoidentificar como homossexual ou bissexual e informar para outra pessoa sua orientação sexual”, avalia.

“Diversos fatores podem interferir na verbalização da orientação sexual, como o contexto cultural, morar em cidades pequenas, o contexto familiar, se sentir inseguro para falar sobre o tema com uma pessoa estranha, a desconfiança com o uso da informação, a indefinição quanto a sua orientação sexual, a não compreensão dos termos homossexual e bissexual, entre outros”, destaca a estudiosa.

O maior percentual de pessoas que se declararam homossexuais ou bissexuais foi registrado entre os mais jovens. Na faixa etária de 18 a 29 anos, 4,8% dos cidadãos disseram se encaixar nestes grupos. Ao mesmo passo, esse intervalo de idade apresentou a maior porcentagem de pessoas que não souberam responder (2,1%) ou se negaram a dar a informação (3,2%).

Vieira afirma que esse cenário também é observado em outras nações. “O maior percentual de jovens que não souberam responder pode estar associado ao fato de essas pessoas ainda não terem consolidado o processo de definição da própria sexualidade. Resultados semelhantes foram obtidos em pesquisas realizadas em outros países, como o Reino Unido, por exemplo”, conclui.

No recorte regional, o Sudeste registrou a maior quantidade de pessoas que se declararam homossexuais ou bissexuais, com 2,1%. Na sequência aprecem os estados nordestinos, com 1,5%. Já nas capitais, o maior destaque ficou com Porto Alegre (5,1%), seguida por Natal (4%) e Macapá (3,9%).