Ipespe: Quase 60% dos brasileiros apostam em vitória de Lula

A pesquisa Ipespe divulgada hoje (relatório completo aqui) trouxe uma pergunta sobre expectativa de vitória com um resultado impressionante.

Confrontados sobre quem acham que será vitorioso este ano, independente se vota ou não no candidato, 58% dos entrevistados responderam que deve ser o ex-presidente Lula.

Apenas 28% disseram ter expectativa de Bolsonaro vencerá as eleições.

Outros 3% apostaram em Moro, e 1%, em Ciro.

No relatório completo, é possível também analisar a evolução das intenções de voto da pesquisa estimulada, desde janeiro de 2020 até janeiro de 2022.

Lula inicia a série com 24%, e hoje está em seu apogeu, com 44%.

Bolsonaro mantém os mesmos 24% que tinha no começo, mas ele já chegou a ter 29% em maio de 2021.

Sergio Moro tinha 17% em janeiro de 2020, atingiu 18% em abril do mesmo ano, mas hoje tem apenas 9%.

Ciro Gomes começa janeiro de 2020 com 11%, e oscila entre 8 e 11% até outubro de 2021. Desde então vem caindo rapidamente, e agora tem 7%.

Doria já chegou a ter 5% em setembro, mas a entrada de Moro na disputa lhe esvaziou, ehoje tem apenas 2%.

Na evolução da espontânea, a pesquisa indica um possivel teto de Lula, em torno de 35%. Bolsonaro também parece ter dificuldade de crescer para além dos 25%.

Todos os outros candidatos pontuam, somando seus percentuais, 8%, um nível estável desde 2020.

A chegada da nova variente omicron piorou a avaliação que se faz do desempenho do presidente Bolsonaro no enfrentamento da pandemia. O índice de ruim e péssimo neste quesito subiu 3 pontos no último mês, e agora é de 57%.

Um outro ponto da entrevista mostra a diferença na imagem dos principais candidatos. Enquanto 60% dos entrevistados responderam que Lula, se eleito, irá “governar para todos”, apenas 34% dizem a mesma coisa sobre Bolsonaro, visto principalmente como alguém que governar “apenas para seus eleitores”.

A pesquisa levantou ainda cenários de segundo turno. Lula vence com tranquilidade em todos. Interessante notar a “boca do jacaré” que se abre num eventual embate com Bolsonaro: Lula ganhar de Bolsonaro por 56% X 31%, o que corresponde a 35 pontos de vantagem. Em votos válidos, a vitória de Lula seria de 64% X 36%.

Já num embate contra Ciro, Lula venceria por 67% X 33%, em votos válidos.

O gráfico com a evolução da probabilidade de voto também oferece perspectivas favoráveis para Lula. O petista vem consolidando cada vez mais seu eleitorado, e ao mesmo tempo reduzindo sua rejeição, que baixou para seu mínimo da série histórica. Hoje 43% dos entrevistados disseram que não votariam em Lula de jeito nenhum. Esse índice já foi de 48% em maio de 2021.

Bolsonaro segue o caminho oposto. O índice de votos “com certeza” em Bolsonaro declinou de 30% em maio de 2021 para 25% em janeiro de 2022. A sua rejeição, por sua vez, atingiu a máxima da série, de 64%.

* O Cafezinho

Ciro Nogueira não acredita em aliança entre Mão Santa e Rafael Fonteles

O ministro-chefe da Casa Civil e senador licenciado Ciro Nogueira (Progressistas), se manifestou na tarde desta sexta-feira (07), sobre uma tentativa de aproximação do pré-candidato a governador pelo PT e secretário da Fazenda Rafael Fonteles com o prefeito de Parnaíba, Mão Santa (DEM).

Um interlocutor governista havia informado em dezembro do ano passado que estava havendo uma conversa entre a filha de Mão Santa, a secretária Gracinha Moraes Souza e Rafael Fonteles, e que o secretário da Fazenda estava se empenhando para conquistar o apoio do prefeito de Parnaíba.

Para Ciro Nogueira, não há a mínima possibilidade de uma aliança entre o prefeito de Parnaíba e o secretário da Fazenda. “Mão Santa e PT é como água e vinho. Não se mistura”, garantiu o ministro-chefe da Casa Civil.

Ciro Nogueira confidenciou ainda que Gracinha Moraes Souza deve se filiar ao Progressistas para concorrer à uma vaga na Assembleia Legislativa nas eleições desse ano. “Ela deve se filiar [ao Progressistas]. Estou indo a Parnaíba daqui a pouco, até para conversar com ela”, afirmou Ciro Nogueira. Continue lendo “Ciro Nogueira não acredita em aliança entre Mão Santa e Rafael Fonteles”

AINDA NÃO DECIDIU: Secretário de Saúde Florentino Neto avalia possível candidatura para Câmara Federal

Nesta quarta-feira (20), o secretário de Saúde, Florentino Neto declarou que tem sido cotado para concorrer à Câmara Federal nas eleições de 2022, mas que ainda não decidiu.

O gestor explica que no momento está focado nas ações de combate a pandemia da Covid-19 e que deverá conversar com sua família e avaliar a possibilidade de concorrer ao cargo de deputado federal.

“Estou muito focado no enfrentamento da Covid-19 e da questão da vacinação. As pessoas têm levantado meu nome para uma vaga na Câmara Federal. Eu vou discutir com minha família e avaliar essa possibilidade”, disse.

Florentino ressalta que, caso a decisão seja de concorrer ao cargo de deputado federal, irá se afastar da Secretaria de Saúde do Piauí durante o processo, mas que isso ainda não foi definido. Continue lendo “AINDA NÃO DECIDIU: Secretário de Saúde Florentino Neto avalia possível candidatura para Câmara Federal”

Não vai ter Bolsonaro em 2022, diz Datafolha, ao apontar rejeição recorde do presidente

Jair Bolsonaro é o presidente mais rejeitado desde a redemocratização do País, afirma o Datafolha –que foi ao baú para confrontar números atuais com os pretéritos.

Segundo o instituto, 59% dos brasileiros não votam hoje de jeito nenhum a favor da sua reeleição. É a maior rejeição de uma série histórica desde 1989.

Na prática, o Datafolha garante que não vai ter Bolsonaro em 2022.

Lula, líder nas pesquisas, tem 38% de rejeição.

O Datafolha, que é um braço de banco, afirma que Bolsonaro ainda pode reverter a rejeição e que Lula tem sua rejeição consolidada, mas reconhece que o petista está muito “tranquilo e confortável” na disputa de 2022.

Pico de rejeição dos eleitos:

  • 1989 – Fernando Collor (PRN) – 11% a 30% (de junho a novembro de 1989)
  • 1994 – Fernando Henrique Cardoso (PSDB) – 12% a 17% (maio a setembro de 1994)
  • 1998 – Fernando Henrique Cardoso (PSDB) – 25% a 21% (março a setembro de 1998)
  • 2002 – Lula (PT) – 30% a 29% (novembro de 2001 a setembro de 2002)
  • 2006 – Lula (PT) – 30% (outubro de 2005 a setembro de 2006)
  • 2010 – Dilma Rousseff (PT) – 21% a 27% (dezembro de 2009 a setembro de 2010)
  • 2014 – Dilma Rousseff (PT) – 27% a 33% (outubro de 2013 a setembro de 2014)
  • 2018 – Jair Bolsonaro (PSL) – 33% a 44% (setembro de 2017 a outubro de 2018)

Na última pesquisa do Datafolha, há um mês, aponta que Lula pode vencer já no primeiro turno –à luz da rejeição de Bolsonaro e do naufrágio da terceira via.

*Por Esmael Morais

Datafolha: Bolsonaro caiu mais e aumenta o desespero com novo recorde de reprovação

A paúra tomou conta do inquilino do Palácio do Planalto nesta quinta-feira (16/09) com a nova pesquisa do Datafolha, que aponta novo recorde de reprovação, 53%, no pós-arrego do presidente Jair Bolsonaro.

O Datafolha disse que ouviu presencialmente 3.667 pessoas em todo o país entre os dias 13 a 15 de setembro. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

Em julho, Bolsonaro tinha reprovação de 51% e após as manifestações de 7 de Setembro, em Brasília e São Paulo, o presidente caiu mais dois pontos.

O clima é de desespero entre os bolsonaristas e o próprio mandatário, que, segundo informações de um parlamentar da base, pensou em não realizar a tradicional live desta quinta-feira (16/09). Os números causaram desconforto no presidente da República.

Segundo o Datafolha, o presidente é avaliado como bom ou ótimo por 22% ante 24% de julho. Ou seja, o recuou de Bolsonaro e a carta assinada por ele e escrita pelo antecessor Michel Temer (MDB) caiu mal entre seus próprios seguidores. Continue lendo “Datafolha: Bolsonaro caiu mais e aumenta o desespero com novo recorde de reprovação”

Bolsonaro se cercou de idiotas e agora se vê cercado por eles

A elite brasileira sempre escolheu segregar pobres, negros e índios. Ou seja, pelo menos 80% da população, até porque a maioria dos pobres do Brasil é formada por negros, resultado de cinco séculos do país dos quais, quatro foram de escravidão.

Assim a elite vai sempre preferir um sujeito como Bolsonaro que cansou de avisar que, mesmo depois de sete mandatos como deputado federal, não sabia nada de coisa nenhuma. Mais que isso, sentia orgulho por não saber, pior, fez disso marketing político dando a isso o nome de “nova política”.

Bolsonaro viu e acertou que bastaria vomitar preconceitos contra pobres, negros, índios, mulheres, gays que estava garantida sem nenhuma dúvida a segregação da imensa maior parte do povo brasileiro, assim como preconiza a cartilha da nossa inacreditável classe dominante.

Agora, Eliane Cantanhêde, uma das mais proeminentes representantes do senso comum de Higienópolis, sintetiza o sentimento dessa elite que vê o país ser centrifugado pela estupidez de Bolsonaro e fez a seguinte anotação em seu twitter:

O único assunto nacional é voto impresso?! Informo que morreram mais de 560 mil brasileiros de Covid, há 15 milhões de desempregos (fora os desalentados), milhões estão morando na rua e com fome. Ah! E tem uma tal Amazônia virando cinzas.

Ou seja, a eterna madrinha dos limpinhos e cheirosos resolveu lembrar, pior, reivindicar um grau de consciência minimamente civilizado da própria mídia em nome de uma suposta pluralidade de assuntos para não deixar que Bolsonaro paute as manchetes, como vem fazendo com suas farsas. Continue lendo “Bolsonaro se cercou de idiotas e agora se vê cercado por eles”

Na sarjeta política, Bolsonaro “apanha” até do menino Tomás Covas: “covarde que ataca quem não está aqui”

A grandeza do menino Tomás Covas, de 15 anos, chamou a atenção do mundo político enquanto o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixou aparente seu lugar: a sarjeta política. Para o filho do ex-prefeito de São Paulo, Bruno Covas, morto em maio, o inquilino do Palácio do Planalto é um “covarde”.

“Lamento a fala dita hoje pelo incompetente e negacionista presidente Bolsonaro. Em uma fala covarde hoje durante a tarde, ele atacou quem não está mais aqui conosco, não dando o direito de resposta ao meu pai”, disse Tomás ao defender seu pai, segundo a jornalista Mônica Bergamo.

Vice da Câmara sinaliza adesão ao impeachment, após agressão de Bolsonaro

Após ter sido responsabilizado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pelo aumento no fundão eleitoral, o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), deve integrar o grupo de parlamentares que pede o impeachment do presidente.

Até o momento, Ramos havia mantido uma postura de neutralidade em face dos 127 pedidos já entregues na Câmara para a retirada de Bolsonaro do poder. A postura era uma tentativa de não criar um cenário de constrangimento para o atual presidente da Casa, Arthur Lira (Progressistas-AL), que detém a prerrogativa constitucional de dar andamento aos pedidos, mas que já avisou ser contrário à medida.

Agora, o deputado avisou que pretende se debruçar sobre cada petição já protocolada com o objetivo de identificar consistências, além da viabilidade política.

“O primeiro elemento para a minha análise é conhecer os pedidos e ver se eles têm fundamentação e caracterização de crime de responsabilidade. Em havendo, existem outros elementos de natureza política que precisam ser considerados”, disse o deputado, que já solicitou cópia dos pedidos.

Prerrogativas constitucionais
Pela lei, na condição de vice-presidente da Câmara, Ramos somente poderia colocar os pedidos em tramitação caso estivesse no exercício do poder na Casa legislativa. Isso ocorreria, por exemplo, em caso de licença de Lira, viagens ao exterior ou mesmo em casos nos quais o presidente da Câmara precise exercer a Presidência da República, por exemplo, na ausência do país, tanto do presidente quanto do vice.

É necessário lembrar que Lira ainda pode ser impedido de ocupar a presidência da República na linha sucessória por ser réu em processos no Supremo Tribunal Federal (STF). Continue lendo “Vice da Câmara sinaliza adesão ao impeachment, após agressão de Bolsonaro”

OAB convoca reunião extraordinária para discutir impeachment de Bolsonaro

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil convocou uma reunião extraordinária para debater se a entidade apresentará um pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O encontro ocorrerá no dia 20 deste mês.

“Os fatos recentes, desvendados pela CPI no Senado, colocam ainda mais luz sobre a responsabilidade clara do governo federal com relação à tragédia que vivemos”, afirma o presidente da instituição, Felipe Santa Cruz, em nota.

“Nosso direito constitucional básico —o direito à vida— está sob séria ameaça. Portanto, não é mais possível adiar o debate sobre a possível apresentação, por parte de nossa entidade, do pedido de impeachment do presidente”, segue a entidade.

A ordem aponta que seu conselho federal recebeu “um extenso e bem fundamentado parecer de uma comissão composta por alguns dos maiores juristas do país” contendo “análise jurídica que aponta para cometimento de crimes pelo presidente da República, indicando elementos para que a OAB pudesse, inclusive, apresentar pedido de impeachment do presidente por crime de responsabilidade”.

“Nunca nos furtamos à defesa da vida e da democracia. Está na razão de ser da OAB e na melhor tradição da advocacia a coragem para lutar pelo Estado Democrático de Direito, pelos direitos humanos e pelo devido processo legal. Estou certo de que esses princípios guiarão nosso debate, que deve se dar em clima de serenidade e respeito ao direito de defesa, sobre mais esse momento grave em que o Brasil exige, novamente, o posicionamento da Ordem”, diz a entidade.

O governo Bolsonaro está acuado por denúncias feitas à CPI da Covid —como o suposto pedido de propina por um servidor do Ministério da Saúde para a aquisição de vacinas—, pelo alto número de mortos pelo coronavírus no Brasil e por protestos pelo impeachment do presidente nas ruas das capitais brasileiras. Continue lendo “OAB convoca reunião extraordinária para discutir impeachment de Bolsonaro”

É Ricardo Barros, do Centrão, quem garante o emprego de Bolsonaro

O Planalto manda dizer que o deputado Ricardo Barros (Progressistas-PR) permanece na liderança do governo na Câmara. Ora, ora, quem está surpreso? Afinal, é Barros quem garante o emprego de Bolsonaro, não o contrário. A notícia, dada por sua essência, deveria ser assim: “Barros manda dizer que Bolsonaro permanece na Presidência da República”.

Se o Centrão se juntar à oposição em favor do impeachment do presidente, ficariam faltando poucos votos para mandar Bolsonaro para o arquivo da política, hipótese em que ele daria início a uma longa carreira no direito penal. E, claro, seria necessário ter uma decisão monocrática inicial de Arthur Lira (AL), também do Progressistas. Na condição de presidente da Câmara, a ele cabe o ato inicial para que o impeachment prospere. Não o fará. A menos que… Bem, aí as coisas ficam por conta do desenrolar dos fatos.

Uma coisa é certa: Bolsonaro não vai defenestrar Barros porque precisa de apoio mais do que nunca. E olhem que o deputado tem um jeito, digamos, muito frio e muito técnico de se defender. Fala como um criminalista, não como alguém que, segundo o deputado Luís Miranda (DEM-DF), foi acusado pelo próprio presidente da República de estar por trás do rolo da Covaxin.

Ele afirma:

“Fica evidente que não há dados concretos ou mesmo acusações objetivas, inclusive pelas entrevistas dadas no fim da semana pelos próprios irmãos Miranda”.

Pois é. Mais um pouco, e Barros poderia dizer algo assim:
“Olhem, por enquanto ao menos, prefiro acreditar na minha inocência. Vamos aguardar os desenrolar dos fatos”.

Ele pode ser acusado de qualquer coisa, menos de amadorismo. Continue lendo “É Ricardo Barros, do Centrão, quem garante o emprego de Bolsonaro”

Aprovação de Bolsonaro despenca 27 pontos, de fevereiro a junho

Levantamento do Ipec ouviu 2.002 pessoas em 141 municípios, de 17 a 21 de junho. A margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos. Na pesquisa anterior, aprovação era de 28%, e reprovação, de 39%.

Foto de Sérgio Lima/Poder360

Pesquisa Ipec divulgada nesta quinta-feira (24) mostra os seguintes percentuais de avaliação do governo do presidente Jair Bolsonaro:

Pré-candidatura de Zé Filho não deve contar com o apoio da base do prefeito Mão Santa na câmara municipal

O ex-governador Zé Filho anunciou que vai mesmo se filiar ao Progressistas para disputar uma vaga de deputado estadual. A definição partidária aconteceu ao lado do presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira. O Zé Filho conta com o apoio do prefeito Mão Santa (DEM), nesse momento o principal nome que apoia a pré-candidatura do ex-governador.

O problema é que esse apoio não se estende até neste momento para os vereadores que são da base do prefeito Mão Santa. Lá na câmara municipal dizem que apenas 4 vereadores podem inclinar para apoiar a empreitada de Zé Filho – seriam: David Soares (Progressistas), Neta (DEM), Carlson Pessoa (DEM), Edcarlos (Progressistas). Os outros vereadores já estariam com seus compromissos firmados com outros nomes que também vão disputar uma vaga na ALEPI – deixando Zé Filho preterido.

Zé Filho vai ter que ralhar atrás de apoios, para não ter o mesmo fim de 2018, quando não foi eleito deputado estadual.

Comitiva liderada pela vereadora Neta visa a politicagem

Os vereadores que compõem a base do prefeito Mão Santa (DEM) estão mais preocupados em legislarem assuntos que são de responsabilidade dos deputados estaduais, do que se ocuparem com os problemas da cidade de Parnaíba, que não são poucos.

Uma comitiva de vereadores liderados pela Neta Castelo Branco e Irmão Marquinhos – abusaram de sua posição como membros da câmara municipal para politizar a situação da quadra poliesportiva do Colégio Estadual Lima Rebelo. É só que alguns vereadores de Parnaíba estão pensando, querendo adiantar os debates políticos para o ano de 2021.

O fato que a visita foi irregular como pontou o presidente do Conselho Escolar do Ceti Lima Rebelo, Professor Roberto Fernandes. Já que o grupo de vereadores mão santistas em momento algum avisaram que fariam uma visita ao espaço, rompendo assim o respeito às hierarquias dos gestores escolares.

Além do mais, o diretor da escola se colocou a disposição do grupo de vereadores para dialogar sobre a situação que foi questionada pelos vereadores. Só que eles estavam irredutíveis e só querendo fazer política com a situação. Continue lendo “Comitiva liderada pela vereadora Neta visa a politicagem”

Juiz cassa mandato do prefeito de São João da Fronteira

O juiz Stefan Oliveira Ladislau, da 21ª Zona Eleitoral de Piracuruca, cassou os mandatos do prefeito de São João da Fronteira, Antônio Erivan Rodrigues Fernandes, mais conhecido como Gongo, e seu vice-prefeito Agostinho Ferreira da Silva. A decisão foi dada nessa terça-feira (15).

Eles foram denunciados pelo Ministério Público Eleitoral que alegou a prática de atos proibidos, em razão da celebração de contratos de prestação de serviços por tempo determinado, durante o período compreendido entre 01 a 14 de setembro de 2020.

O prefeito e vice apresentaram defesa sustentando que todas as contratações foram realizadas pela secretaria municipal de Saúde com fundamento em decreto municipal de calamidade pública, a fim de combater a covid-19.

Alegaram ainda que as contratações se deram em momento anterior ao período vedado pela legislação eleitoral, com exceção dos auxiliares de serviços gerais que, segundo os representados, foram contratados para substituir os servidores que se encontravam em gozo de férias. Continue lendo “Juiz cassa mandato do prefeito de São João da Fronteira”

Vice-prefeito Beto Teles deixa a base de apoio do deputado Julio Arcoverde

A foto postada nas redes sociais pelo ex-governador Zé Filho (PSDB) revelou a adesão do vice-prefeito Beto Teles (Progressistas) à pré-candidatura para deputado estadual do Zé Filho. O ex-governador revelou na legenda da postagem que: “Recebi com muita alegria o apoio a nossa pré-candidatura a deputado do nosso amigo e vice-prefeito de Parnaíba Beto”.

Com isso, o Beto deixa a base de apoio do deputado estadual Júlio Arcoverde (Progressistas). Beto apoio a candidatura de Júlio, em 2018. Não se sabe ainda qual será reação do Júlio. Já que ele foi um dos princípios nomes dentro dos Progressistas que advogaram a favor de Beto para compor a chapa ao lado do prefeito Mão Santa.

Vale lembrar que Júlio Arcoverde é presidente estadual dos Progressistas – partido do vice-prefeito.