Número de pessoas com sintomas de síndrome gripal fica estável

Na semana de 6 a 12 de setembro, a PNAD COVID19 estimou que 9,7 milhões de pessoas (ou 4,6% da população do país) apresentavam pelo menos um dos 12 sintomas associados à síndrome gripal (febre, tosse, dor de garganta, dificuldade para respirar, dor de cabeça, dor no peito, náusea, nariz entupido ou escorrendo, fadiga, dor nos olhos, perda de olfato ou paladar e dor muscular) que são investigados pela pesquisa. Esse contingente ficou estável frente à semana anterior (9,9 milhões ou 4,7% da população do país) e recuou frente à semana de 3 a 9 de maio (26,8 milhões ou 12,7%).

Cerca de 2,3 milhões de pessoas (ou 23,6% daqueles com algum sintoma) procuraram estabelecimento de saúde em busca de atendimento (postos de saúde, equipe de saúde da família, UPA, Pronto Socorro ou Hospital do SUS ou, ainda, ambulatório /consultório, pronto socorro ou hospital privado). Esse contingente ficou estável frente à semana anterior (2,4 milhões ou 24,5%). Em relação à semana de 3 a 9 de maio (3,7 milhões ou 13,7%), houve queda em números absolutos e aumento em termos percentuais.

Cerca de 606 mil pessoas procuraram atendimento em hospital público, particular ou ligado às forças armadas na semana de 6 a 12 de setembro. Esse contingente ficou estável frente à semana anterior (670 mil) mas caiu frente à semana de 3 a 9 de maio (1,1 milhão). Entre os que procuraram atendimento em hospital, 108 mil (13,3%) foram internados. Esse contingente se manteve estável frente à semana anterior (127 mil ou 14,1%) e à semana de 3 a 9 de maio (97 mil ou 9,1%).