Pais protestam contra a prisão de dono de escola acusado de estupro

A audiência de custódia do empresário Antônio Batista de Miranda Filho, de 56 anos, preso na manhã de ontem (18), acusado de estuprar uma criança de apenas 4 anos, dentro da escola de reforço Betel, localizada na rua Alecrim, no bairro Jóquei, na zona Leste de Teresina, acontece nesta terça-feira (19), no Fórum Criminal, no Centro da capital.

O empresário está no local desde às 08h30 e até às 11h a audiência ainda não tinha iniciado. De acordo com informações do repórter Josafá Torres, da Rede Meio Norte, que acompanha o caso direto do local, o acusado de estupro de vulnerável “está tranquilo, como se nada tivesse acontecido”.

Um fato atípico chama a atenção nesse caso, já que um grupo de pais de alunos estão em frente a escola protestando contra a prisão do empresário e afirmam que não vão retirar os filhos da escola, pois acreditam que o suspeito é inocente.

“Nós estamos sempre perguntando, conversando com nossos filhos e eles falam muito bem do Tio Batista, ele faz apenas o almoço dessas crianças, algumas delas que ficam em tempo integral. Ele dá esse suporte na cozinha e não tem acesso as crianças, nos temos relatos de vários pais que tem filhos há 8, 9, 10 anos nessa escola. Contradiz muito com o relato de uma criança que passou apenas duas semanas nesse reforço”, relatou a mãe de um aluno.

“Isso que estão fazendo é uma calúnia , é uma tristeza, é uma família que sempre educou, tem o maior carinho pelos filhos da gente. A esposa dele está abalada porque uma situação dessas é muito difícil , mas a gente vai se reerguer, vai dá tudo certo porque ele é inocente”, relatou outra mãe.

Segundo o advogado da família da vítima, Dr. Carlos Terto, que se encontrava no Fórum Criminal, a criança descreveu o caso nos mínimos detalhes. “Como o processo está em segredo de justiça, o que nós podemos falar é que tem provas que a criança relatou dentro da escola, transcreveu, desenhou o que ocorreu dentro do colégio e mediante disso através das investigações, a polícia juntamente com o poder judiciário decretou a prisão preventiva desse indivíduo que estava trazendo risco para outras crianças. Ela fez no mínimo detalhe, detalhes que uma criança de 4 anos não saberia fazer, não saberia inventar, ela demonstrou tudo como foi”, disse.

Advogado da família da vítima / Crédito: Reprodução/TV Meio Norte
O empresário Antônio Batista de Miranda Filho espera pela audiência de custódia no Fórum Criminal de Teresina – Crédito: Josafá Torres

O delegado Matheus Zanatta, informou após a prisão do acusado, que a polícia recebeu a denuncia em janeiro deste ano e após uma investigação, o juiz da central deferiu o mandado de prisão preventiva e busca e apreensão contra o empresário acusado de estupro de vulnerável.

“Nós recebemos a denuncia em janeiro deste ano, a delegada Katia e sua equipe da Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA), fez a instrução do inquérito policial realizando algumas medidas cautelares entre elas, prisão preventiva, busca e apreensão domiciliar. O juiz da central, Luis Henrique, deferiu essas medidas cautelares com parecer favorável do Ministério Público. A delegada Katia cumpriu o mandado de prisão do senhor de 56 anos de idade e a Delegacia Geral cumpriu o mandado de busca e apreensão na escola de reforço que fica localizada na zona Leste da capital.” relatou o delegado.

O empresário Antônio Batista de Miranda Filho espera pela audiência de custódia no Fórum Criminal de Teresina – Crédito: Josafá Torres

Meio Norte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.