Piauí precisa investir 16 vezes mais em saneamento básico

O Piauí precisa investir R$ 1 bilhão em saneamento básico para atingir a meta da universalização estipulada pelo novo marco regulatório do setor, sancionado em julho deste ano. Esse valor é 16,36 vezes maior que o investimento atual, orçado em R$ 61 milhões. Os dados fazem parte de um levantamento feito pela Consultoria GO Associados em todo o Brasil.

O estudo mostrou que 24 dos 27 Estados brasileiros necessitam ampliar a média de investimentos na área. É o caso do Piauí, que já iniciou as tratativas com o BNDES para a concessão do serviço. Foi assim que a situação começou a melhorar em Teresina, que ampliou o esgotamento sanitário de 19% para 35%, após três anos da concessão dos serviços para uma empresa privada.

De acordo com o novo marco regulatório, até 2033, 99% da população deve ter água tratada, e o acesso a sistemas de esgoto sanitário deve atingir 90% dos habitantes. Hoje, a coleta de esgoto alcança apenas 14% da população piauiense, enquanto o acesso a água potável é de 76%.