CASO FABÍOLA: A hipocrisia humana e os crimes virtuais…

Um adultério – popularmente conhecido como TRAIÇÃO – ocorrido durante esta semana na cidade de Contagem, próximo à Belo Horizonte, em Minas Gerais, se transformou em viral espalhando-se de forma grotesca pelas redes sociais, imprensa em geral e em todos os quatro cantos do país como se fosse algo de outro mundo.

O caso de traição mais famoso do país
O caso de traição mais famoso do país

Um marido que desconfiava que a esposa o traía decide acionar um amigo para registrar um flagrante e consegue. Ao seguir a mulher até um motel e descobrir que ela estava de caso com um amigo, o homem traído decide expor para o mundo sua triste condição. O objetivo, claro, era propagar a imagem de TRAÍRA da companheira.

Pois bem… O vício de filmar toda e qualquer ação ou momento, agradável ou não, virou algo monstruoso, maquiavélico e muitas vezes doente. Não se trata de registrar uma notícia ou um fato qualquer. Estamos falando da vida pessoal e de ações que podem destruir famílias inteiras e até mesmo se transformarem em uma catástrofe fatal.

Pior ainda é ver um país inteiro comentando, sorrindo, propagando e transformando em ‘memes’ e até em músicas, uma situação que pode acontecer dentro da casa de qualquer um, mas se fosse na NOSSA, não seria engraçado, seria terrível!

FABÍOLA (a esposa traidora), LÉO (o amante) e o MARIDO TRAÍDO viraram os personagens do momento e as mídias sensacionalistas deitam e rolam em cima do caso.

O ato insano do marido que deixa a condição de vítima para ser o algoz na triste ‘historinha’ revela a hipocrisia humana e chama atenção para a incidência de crimes virtuais.

Sobre o assunto, o Blog conversou com o delegado Odilardo Diniz do Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic). Segundo o especialista o fato exposto pelo marido traído, que deixou a condição de vítima de adultério quando compartilhou as imagens que poderiam ser usadas a seu favor em um possível processo de separação, causou difamação à esposa.

“Os desdobramentos extrapolaram contra a Fabíola causando um dano moral gravíssimo caracterizando crime contra a honra pela forma como está sendo compartilhado nas redes através de montagens, memes e frases pejorativas”, disse o delegado.

De acordo com Odilardo, o marido criou uma prova errada que virou contra ele e deverá responder por danos morais.

“Hoje em dia muitas pessoas acham normal filmarem tudo e só vai cair a ficha quando passarem por um processo. Tudo que se faz em um ambiente virtual deixa rastros.”

Moralistas sem moral: 20 deputados que podem investigar Dilma são alvos de investigação criminal

Pelo menos 20 dos 61 integrantes da comissão eleita ontem pelo plenário da Câmara dos Deputados para analisar o pedido de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff (PT) responde a inquéritos ou ações penais no STF (Supremo Tribunal Federal).Moralistas sem moral: 20 deputados que podem investigar Dilma são alvos de investigação criminal

Além do crime de responsabilidade – o mesmo atribuído à presidenta -, eles respondem por corrupção, lavagem de dinheiro, crimes eleitorais e contra a Lei de Licitações. Só entre os indicados pelo PP, dois titulares – Jerônimo Goergen (RS) e Luiz Carlos Heinze (RS) – e um suplente – Roberto Balestra (GO) – são investigados pela Operação Lava Jato, suspeitos de terem recebido recursos da corrupção na Petrobras. Todos eles negam envolvimento nas irregularidades.

Integrante da comissão, o deputado Paulinho da Força (SD-SP) – um dos aliados mais próximos do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) – é um dos que já são réus. Ele é acusado de desviar recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). O deputado ainda é investigado em outros três inquéritos por peculato e corrupção passiva.

Com informações do Congresso em Foco

Sigefredo Pacheco recebe ônibus do “Mulher Viver sem Violência”

busao

O assentamento Santo Antonio, no município de Sigefredo Pacheco, distante 160 quilômetros de Teresina (PI), recebeu a visita do ônibus do programa “Mulher Viver sem Violência”. A ação ocorreu na semana passada.

A visita do ônibus foi conseguida junto ao governo pela Secretaria da Assistência Social de Sigefredo Pacheco. A secretária Lucineide Bandeira ressaltou da importância do evento.

Durante todo o dia, foram desenvolvidas várias atividades, como palestras para a mulher do campo. Autoridades como os promotores Luciano Lopes e Amparo Paz, além de representantes de diversas entidades, levaram informações para as mulheres do assentamento.