Suspeito de esquartejar dois corpos em Parnaíba é preso no DF

Suspeito de participar de dois brutais assassinatos em Parnaíba foi preso no Distrito Federal, na noite de segunda-feira (1°). O preso foi identificado como Giovani Allison, e é natural de Teresina. Os corpos foram esquartejados e decapitados. O caso chocou o Piauí devido a crueldade. As vítimas foram torturadas antes da execução.

De acordo com o delegado Gutemberg Santos Morais, do 15ºDP – Ceilândia Centro (DF), o suspeito foi preso inicialmente por receptação e ao chegar à delegacia foi identificado o mandado de prisão preventiva contra ele.

“Ele foi autuado por recepção porque conduzia uma motocicleta roubada. Ao consultar o sistema, foi identificado esse mandado em aberto de Parnaíba, pesquisamos e soubemos desse duplo homicídio, que teve uma grande repercussão. Entramos em contato com os policiais do Piauí e tomamos conhecimento do caso. Disseram que ele era o último suspeito que faltava a ser preso”, disse o delegado.Gutemberg também informou que o preso deverá ser recambiado para o Piauí.

Sobre a prisão, o delegado destacou que os policiais militares visualizaram a motocicleta, que já tinha denúncia do roubo do veículo.

Homicídios brutais

Em março de 2018, dois corpos foram encontrados enterrados no quintal de uma residência no bairro Piauí, em Parnaíba.

Os corpos foram esquartejados, estavam amarrados e apresentavam sinais de torturados, antes da execução. As cabeças e partes do corpo estavam enterradas em buracos diferentes do terreno.

As vítimas foram identificadas como o professor de inglês Paulo Henrique Lima Caldas, natural de São Luís-MA, 47 anos e David Soares Maciel, natural de Parnaíba-PI, 29 anos.

Foram presos em participar desse crime: onas de Brito Martins, 20 anos, Franciely Oliveira Pereira, 23 anos, Francisco de Assis Júnior, 28 anos, um menor de idade, Luís Evangelista Guedelha, vulgo Lulu, 26 anos e Francisco de Assis Guedelha, 32 anos, sendo estes dois últimos irmãos.

Na época, o então coordenador da Delegacia de Homicídios, Tráfico de Drogas e Latrocínio de Parnaíba, delegado Eduardo Aquino, informou ao Cidadeverde.com que a motivação do crime foi uma suposta dívida por drogas. Nos autos, há relatos de que a dívida seria de R$ 20. No entanto, o delegado esclareceu que os suspeitos falaram em outros valores.

Com informações Cidade Verde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.