OPINIÃO: No portal 180 graus é assim, se as prefeituras não pagam…. “TACA-LE PAU”…

Portal 180 GrausEu acho bem nojento quando vejo alguns títulos do portal 180 graus de Teresina. Nem coloco culpa nos funcionários porque coitados, são pagos para exercer um trabalho de total cunho econômico.

Sabe de que forma funciona? Uma equipe de representantes do site viajam pelo estado, de cidade em cidade para vender a página do município, e “ai do prefeito que não comprar o espaço”… Se não comprar, tá dado o ultimato, esse prefeito vira judas…

Acho que o prefeito de Parnaíba não quis comprar o espaço de Parnaíba porque nos últimos dias, cai “taca’ menino… Notícias boas sobre nossa cidade que tantos talentos e cultura rica tem, NADA!…

O 180 graus é assim, se não pagar…. “TACA-LE PAU”…

Por Tacyane Machado Via Facebook

Ministério Público ajuíza ação contra empresário Helder Eugênio do 180 Graus

O Ministério Público do Trabalho no Piauí ajuizou, na última sexta-feira (20), uma ação civil pública em face do grupo econômico Helder Eugênio, que inclui o proprietário das empresas, Helder Eugênio, e as empresas Editora 180 Graus, BR Vox e Instituto Galaxy, com o objetivo de obter condenação relativa à prática de assédio moral organizacional, desvio de função e jornadas exaustivas. O MPT pleiteou a tutela antecipada e pagamento de indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 3 milhões de reais.

Helder Eugênio
Helder Eugênio

Após investigação, em que o Ministério Público colheu mais de 20 depoimentos de ex-empregados do grupo, a procuradora do Trabalho, Jeane Araújo, ajuizou a ação, que foi distribuída para a 1ª Vara do Trabalho de Teresina.

GP1

180graus: o que tem a esconder o maior portal de notícias do Piauí?

180graus: o que tem a esconder o maior portal de notícias do Piauí?
Ex-funcionários começam a revelar os bastidores do outro lado da imprensa piauiense

Assis Chateaubriand foi um controverso empresário de comunicação cujos métodos de conquistar poder e dinheiro na imprensa brasileira entraram para a história. Seus episódios de chantagem foram denunciados pela revista americana “Times” em 1957. Segundo o relato, “o método era quase sempre o mesmo: ameaçar o candidato a doador com campanhas difamatórias, caso ele se negasse a fazer a contribuição desejada.”

As práticas nada convencionais de “Chatô” parecem se reproduzir no Piauí. É o que revelariam denúncias feitas por ex-funcionários do portal 180graus e por alguns empresários. Seus relatos dizem muito sobre o que está por trás do “sucesso” do maior portal de notícias do Piauí.

Comandado por Helder Eugênio, que assim como “Chatô”, é jornalista e advogado, o 180graus, segundo as denúncias, conseguiria recursos a partir de práticas de chantagens, exploração de mão de obra, intimidação e assédio. Segundo os denunciantes, o problema é tão grave que ex-funcionários chegaram a sofrer surtos psicológicos.

Ex-funcionários revelam práticas de extorsão no 180graus
O modus operandi do 180graus está deixado de se tornar assunto velado. Há alguns anos o empresário Silvio Leite vem denunciando as chantagens que Helder Eugênio estaria praticando não apenas contra o Governo do Estado e prefeituras, mas também contra empresários e políticos. A coragem de Silvio em expor o problema em sua rede social tem feito com que outras prováveis vítimas também se manifestem.

É a tática “contra ou a favor?” A mesma que foi usada por Chatô, e que ficou muito evidente no 180graus em 2014. A ferramenta de coação do “dr” Helder Eugênio – ele exige que seus funcionários assim o chamem – seria o portal 180graus.

O Capital Teresina teve acesso aos relatos de vários ex-funcionários. Foram depoimentos feitos ao Ministério Público do Trabalho. É tudo muito assustador.

Chantagem contra prefeitos?
Em um dos depoimentos, prestado ao MPT por um ex-funcionário do 180graus, é descrito a forma como o Portal conseguiria os contratos com as prefeituras do interior. Segundo a fonte denunciante, essas pequenas prefeituras do interior são, juntas, as maiores receitas do 180graus. “É através dessa receita que ele [Helder Eugênio] mantém o portal. Caiu muito [contratos] depois que eu saí de lá, os prefeitos não querem fazer contrato, segundo eles, ter algo com o 180graus é como assinar o termo de que está sendo chantageado e que se fez algo de errado”, disse o ex-funcionário.

180graus: o que tem a esconder o maior portal de notícias do Piauí?
Trecho original do depoimento prestado ao Ministério Público do Trabalho.

O trecho do depoimento que revela as relações incestuosas com os municípios, prestado pelo ex-funcionário ao Ministério Público é assustador. Veja a transcrição: “…que havia uma meta de vendas aos prefeitos dos municípios do interior para adquirirem notícias no blog 180graus; que, caso o prefeito não adquirisse o blog 180graus, os empregados eram obrigados a fazerem notícias contrárias ao município e ao prefeito de forma a forçar o prefeito a adquirir o blog…”

Beleza e fragilidade emocional seriam os critérios de escolha do 180graus

180graus: o que tem a esconder o maior portal de notícias do Piauí?
Depoimento cita escolha baseada em “falha na estrutura familiar”

“… o sr. Helder, em geral, procura jovens, até 25 anos, solteiros, para trabalhar, e com alguma falha na estrutura familiar…” Foi assim, em depoimento, que o ex-funcionário revelou como é o processo de escolha das pessoas que trabalham no 180graus. Seria nesse universo, de relações pouco republicanas, que esses jovens experimentariam a vida profissional na imprensa.
Contra ou a favor?

Decoração estranha: na parede quadros com dizeres "vendo a paz e existe a guerra".
Decoração estranha: na parede quadros com dizeres “vendo a paz e existe a guerra”.

Uma das posturas mais controversas do 180graus ocorreu no ano eleitoral de 2014. Entre julho e outubro daquele ano, os visitantes que chegavam no “Terraço 180” se deparavam com uma foto de Helder Eugênio fumando charuto. A imagem, que lembrava a de Fidel Castro, ficava entre duas frases emblemáticas. Do lado esquerdo estava escrito “Vendo a Paz”. Do lado direito o visitante lia “existe o inferno”. Uma boa forma de recepcionar.

E foi assim, entre a paz e a guerra que o 180graus se posicionou editorialmente naquele ano. Primeiro voltou sua artilharia contra o então Governador Zé Filho. Charges, matérias. Tudo contra o então governador. Mas, antes que o leitor do 180graus conseguisse digitar o endereço eletrônico do portal, Helder Eugênio virou um dos coordenadores do próprio Zé Filho ao Governo do Piauí naquele ano.

Derrotado, Helder Eugênio agora busca seu espaço no governo Wellington Dias

No quesito estratagema, o “dr’ Helder coloca a maioria dos empresários de comunicação do Piauí no bolso. A estratégia do dono do 180graus é clara: dividir o governo para ocupá-lo. Misturando elogios e críticas, Helder atira nos setores do Estado que não tem influência e elogia aqueles com quais mantém relação.

Nos últimos meses, Helder tem medido forças com o governador Wellington Dias. Ele está contra alguns. E a favor de outros.

Por: Fábio de Melo Sérvio – Especial para Capital Teresina